III° Conferência Municipal do K.K

Aconteceu hoje 14 /07/11 na Igreja Simao Kimbango a III° Conferência Municipal do Kilamba Kiaxi.

 

Um encontro que reuniu representante de/a: autoridades tradicionais ,  da Administracao do Neves Bendinha ,  religiosos , empresariais  OCBs e cidadaos em sua propria representacao e contou com um orcamento de USD 2000

entre os oradores do encontro , destaque pessoal atribuo a Willy Piassa que na condicao de municipe ,  falou sobre o Papel dos Actores da Sociedade Civil no Combate a pobreza no Kilamba Kiaxi , uma dissertacao bastante pedagogica que entre outras questoes aporta potencial para desconstruir a racionalidade presente no nosso imaginario colectivo , o entendimento de que o governo e pai dos cidadaos , um pouco na senda do entendimento retrogado  dos Franceses no seculo XVI.

 

Um desafio que em meu entendimento permanence bastante vivo e sobre a questao de metodologias participativas que precisamos ensaiar para que os nossos encontros produzam resultados mobilizadores que impulsionem uma accao consensual no dia imediatamente subsequente a conferencia

 

Um desafio que todas as conferencias vao enfrentar , haver vamos , se a Conferencia do Cazenga , prevista para o dia 20 no Centro de Formacao Provincial do Cazenga consiguira enfrentar exitosamente

As nossas desculpas pela falta de assentuacao das palavras , isto porque , o computador nao ajudou.

Nelson Paulo

|

Comentarios

É escusado falar do mérito do evento por ter decorrido sob condiçoes financeiras à quém do habitual, escusado ainda é sublinhar o facto de os prelectores serem na sua maioria munícipes que se revêem na causa da conferência, lhes conferindo maior propriedade ao falar dos problemas locais; Mas alguma coisa de que não posso me dar o luxo de fazer esse comentário sem mencionar é a cultura "de governação participativa" de que Nelson Paulo se refer.

Já lá vão muitos anos em que o cidadão, induzido ou voluntariamente, atribuía ao Governo o papel de pai que tudo pode e deve fazer pelo filho; Há quem tenha saudades daqueles tempos em que as políticas e a gestão do que é público não se devia questionar (dogmatismo)? I don't think so!

Parabés KK, estamos juntos nessa e obrigado NP por partilhar connosco estes trechos.

Por outra, seria grande valia por vossa parte partilharem connosco as recomendações, enquanto aguardamos pelo relatório.

Conferências, encontros , fóruns , debate são os instrumentos que temos a disposição para construir consensos . Uma metodologia muito em voga nestes instrumentos são os debates em grupos menores que depois partilham as suas conclusões em plenária .

Mas eu estou inqueto com outros instrumentos que precisamos apropriar-nos para que as conferencias conseguigam produzir consensos em prol de um interesse comum e em seguida mantem as pessoas mobilizadas , em torno deste interesse comum , para o realizarem .

Por exemplo se uma conferência reconhecer que precisamos dizer não a atitude monstruosa de policias correrem com as zungueiras e propor como solução  que o governo( ou executivo) aprove recursos suficientes e  coloque nas ruas centros móveis  de apoio empresarial com gestores que ganhem em função de resultados concretos que consigam alcançar . Essa posição demanda mil e uma acção da parte dos cidadãos desde produção de estudos  economicos , contacto com politicos , levantamento da legislação nacional e internacional , mobilização e consciencialização , advocacia enfim... Acha que há de ser possivel ?

Prezado Marcelino e demais companheiros , acham que é possivel consenso e envolvimento em torno da sua realização? Como?

Nelson Paulo

 

 

Caro Nelson,

Sinto a necessidade de espaços onde possa trocar ideias. Trocar ideias sem que isso envolva ter de ser rotulado e sem me sentir arrastado para uma luta de egos. Imagino que muitos outros sintam o mesmo. Dessa troca surgirão quase que seguramente os consensos. O tema que levantas do mercado informal e da preseguição que as pessoas que actuam aí sofrem é provavelmente um tema a propor para a conferencia nacional. E a busca de formas de convencer (e pressionar) o governo a fazer algo de positivo poderá surgir daí

Boa tarde caros companheiro(a)s de Luta !!!!!!

Paz e Bem é tudo que desejo a todos aqueles que se identificam com o processo.

Dizer que recebi todos os e-mails em relação ao processo das conferencias e sinto que de uma forma ou de outra estamos a participar, mais cada um a sua maneira...

Eu também QUERO PARCIPAR E VOU PARTICIPAR, mas como? Cheguei a conclusão que devo participar da seguinte Maneira: Pensar no presente e pensar como vai ser o futuro, mas com acções práticas.

PARA O PRESENTE, vou propor possíveis para plenária nacional;

Sugiro dois Blocos : o primeiro vai falar da Participação do cidadão na vida politica , social e cultural da sua comuna e Municipio, provincia e País.(att: Não perder de vista os espaço que estão instituidos por lei "CASC e Foruns" e outras formas organizativas dentro da comiunidade e como fazem para que as mesmas estejam representados nos CASC).

Neste Bloco podiamos ter temas como: Representação das comunidades nos CASC; As formas de participação, passada actual e tendencias da comuidade e da constituição; Desconcentração e descentralização (exemplos práticos)...

- Trabalho em Grupo por provincia para fazer uma analise mais aprofundada de formas a concluirmos se a participação do cidadão é efectiva na vida publica , caso nao seja , quais as causas profundas que estão na base da não participação.

2 bloco - estaria ligado a apresentação de Boas praticas, em termos de participação dos cidadãos na vida pública,(mostrando os resultados na mudança da vida dos cidadãos) onde se podia por exemplo pôr a falar um administrador/Governador da experiencia vividade na relação com a sociedade civil (por exemplo a dinâmica da provincia do K. Norte , no que diz respeito ao processo das conferencias , onde o Governo da Provincia e a coordenação da CPSC, estão a meu ver a caminhar bem), POSSO ATÉ AVANÇAR COMO SUGESTÃO QUE O GOVERNADOR DA PROVINCIA DO K.NORTE FAÇA O ACTO DE ABERTURA .... da CNSC por ter conseguido visualizar este casamento sem muitos conflitos.


MONITORIA, das recomendações das conferencias comunais, municipais, provinciais e nacionais.

Sou de opinião que envolvamos neste processo pessoas como: Eng. Fernando Pacheco, Figas, Guilherme Santos, Sérgio Calundungo, Belisário, João Neves, Vitor Barbosa e outros, por causa da sua tragetoria nas trincheiras da socidede Civil , por um lado e por outro pelo prestigio e respeito que ganharam na sociedade civil e nos corredores do executivo e da assembleia nacional e até as agencias internacionais, repito pela sua tragetoria dentro da Sociedade Civil.

Os nomes acima avançados se responsabilizariam em trabalhar no plano de seguimento e monitoria das Recomendações das conferencias da Sociedade Civil a todos os niveis e como neste grupos a conhecimento de todos os niveis (Educação: Agricultura; Politica/politologos ; Socialogia e outros), vão ter a responsabilidade de fazer uma analise aprofundada de cada provincia e ajudar as coordenações provincias a operacionalizar as recomendações, mas começando com o que eles têm e ajudá-los na sua estrura organizativa.

Em suma seriam uma especie de conselheiros em relação a estrutura para as próximas conferencias (desde as municipais até a Nacional) e em outros espaços (Rádio; conferencias Nacionais e Internacionais; nos corredores do executivo e na assembleia Nacional), jogariam um papel de advocacia e assim estariamos a influenciar as politicas com base as recomendações das nossas conferencias.



Para terminar proponho um encontro só com as pessoas que citei, de formas a explicar na prática como eu acho que deveria funcionar este grupo de monitoria e provar por A + B, que a continuidade de este espaço,depente dentros processos, o de monitoria e assumido pelos "SOBAs" e "Para SOBAS" da sociedade Civil.

Bom hoje fico por aqui

Henrique Calazans





















eu quero saber alguma coisa sobre o k.k e não acho nada.

 

Comentários a este artigo no RSS

Comentarios recientes

Cerrar