"Day After" eleições de 2012 em Angola reune activistas cívicos em Luanda.

Um grupo informal de organizações da Sociedade Civil, nomeadamente a Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente (ADRA), Centro para o Desenvolvimento e Parcerias de Angola (CDPA), Instituto para Cidadania- Centro MOSAIKO, Development Workshop (DW), Associação Angolana de Educação de Adultos (AAEA), o Observatário Politico Social de Angola (OPSA) e a Plataforma de Mulher em Acção (PMA) organizou no passado dia 24 de Agosto, uma mesa-redonda durante a qual foram abordadas questões sobre "como assegurar a estabilidade no páis no período pós eleitoral";

O evento que teve lugar na sede da União dos Escritores Angolanos, das 15h00 às 18h00, facilitado pelo Engº Fernando Pacheco, e animado pelo Dr. Marcolino Moco, advogado e acadêmico, Dra. Laurinda Hoygard, acadêmica, Siona Casimir, jornalista e director do jornal A Capital, contou com a participação de vários intelectuais da praça e maioritariamente activistas cívicos.DSC_0070.JPG

O debate teve como pontos centrais as seguintes questões:

1. Como o partido ou coligação que vencer as eleições deverá lidar com as outras formações políticas e, como os não vencedores deverão reagir e pautar por uma conduta e ética correcta;

2. Como os observadores nacionais e internacionas deverão actuar durante e depois da divulgação dos resultados eleitorais;

3. Como é que os órgãos de comunicação social (públicos e privados) deverão actuar durante e depois de anunciados os resultados.

A iniciativa surge na sequência e consideração das experiências dos dois processos eleitorais já vividos em Angola e do conhecimento do desfecho dos processos eleitorais em diversos países de África, assim como o nível e o estágio de desenvolvimento das instituições do Estado angolano.

|

Comentarios

Comentários a este artigo no RSS

Comentarios recientes

Cerrar