Huíla é, a partir de agora, o Coordenador legítimo das Organizações da Sociedade Civil em Angola

Doze meses é o período que cada uma das provóncias dispõe para assumir o papel de representar as Organizações da Sociedade Civil no país e consequentemente, assegurar a monitoria das recomendações e organização da Conferência Nacional antecedida pelas conferências provinciais.

A província da Huíla, como resultado de uma votação que aconteceu no final da plenária da 5ªHu_la_Nova_Coord_004.JPG Conferência realizada na província de Malanje em Novembro passado é, a partir de Janeiro 2012, quem deverá responder pelo dossier do processo  da VI Conferência a ter lugar, a partida, em Novembro do ano corrente.

O acto simbólico da passagem das pastas foi testemunhado pelas organizações da Sociedade Civil locais e pela imprensa. A coordenação cessante (Malanje) representada pelo Sr. Waldemar Cassombi, membro da organização que liderou a comissão, acompanhado pelo Marcelino Brinco, do Grupo Técnico de Apoio, fez a entrega das pastas a Coordenação actual, representada pelos senhores João Franciscos e pelo Pastor Ilário, que contêm vários documentos como Termos de Referência, documentos administrativos, relatórios e tantos outros que deverão servir na condução do processo que só terminará na próxima plenária com a eleição de uma outra coordenação.

Para assegurar o comprometimento do executivo local, em relação ao processo, a mesma delegação que se deslocou à cidade do Lubango para a transferência das pastas, foi recebida em audiência pelo Vice-Governador pronvincial pela Esfera Social, Dr. José Arão Nataniel Chissonde. Durante o encontro a delegação fez a apresentação oficial da nova Coordenação ao Governo provincial e aproveitou a ocasião para solicitar do executivo todo apoio que o grupo vier a precisar, pois a escolha da província para albergar a próxima plenária acresce as responsabilidades daqueles que deverão responder neste período pelos interesses da maioria das Organizações da Sociedade Civil.

Segundo o Vice-governador, é graças o actual nível de cooperação e parceria entre o Governo e as instituições da SC que vários problemas locais têm encontrado solução. A título de exemplo o governante citou o caso que mantinha de costas viradas o executivo e os pensionistas do Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos de guerra por falta do pagamento das suas pensões e que o processo encontra-se num bom caminho, depois de prolongadas negociações “o que demonstra a boa vontade do executivo em continuar a dialogar com todos extratos da sociedade”, disse. Ainda assim, segundo Dr. Chissonde, a mesma experiência está ser usada para resolver o impasse que impõe o governo e o SIMPROF.

|

Comentarios

Comentários a este artigo no RSS

Comentarios recientes

Cerrar